quinta-feira, 11 de julho de 2019

RETROFIT DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA

Você sabe o que é Retrofit e quais as vantagens para seu condomínio? Leia o artigo na íntegra e entenda um pouco sobre essa abordagem que pode trazer resultados significativos nas contas de seu condomínio.

Por: Marco A. Souza



Modificações nos edifícios existentes podem melhorar a eficiência energética e reduzir significativamente o uso de energia em geral. Ganhos potenciais podem ser particularmente grandes em empreendimentos antigos que não foram construídos para os padrões modernos de eficiência energética, a isso damos o nome de Retrofit.

Muitos programas vêm sendo desenvolvidos por empresas de serviços públicos para incentivar projetos de Retrofit de eficiência energética em edifícios existentes, como por exemplo a RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 482, DE 17 DE ABRIL DE 2012, que estabelece as condições gerais para o acesso de microgeração e minigeração distribuída aos sistemas de distribuição de energia elétrica.

Alguns desses programas se concentram no condomínio de uma forma geral, enquanto outros nos condôminos (leia nosso artigo: “Automação de apartamento:” Como tornar o seu apartamento mais inteligente”). Os projetos comuns incluem:

• modernização para sistemas de aquecimento e resfriamento com eficiência energética ou isolamento com classificação mais alta, instalação de painéis solares e aquecedores solares de água quente para atender as piscinas.

•  desligar elevador: durante a madrugada, quando o uso do elevador é bem menor, desligar um dos equipamentos traz uma economia de eletricidade sem nenhum sacrifício para o condomínio, ainda mais quando se tem um elevador de uso comum que atenda a todas as unidades do andar.

•  remanejamento da iluminação da garagem: com a ajuda de um especialista em luminotécnica, é possível diminuir o consumo energético do local através de uma melhor distribuição de circuitos e troca de lâmpadas, priorizando as áreas de circulação e não as vagas em si.

•  estudo para instalação de Banco de capacitores para correção de fator de potência: seu condomínio pode estar sendo cobrado por gastar “energia reativa excedente”; com o tempo, alguns motores vão perdendo seu rendimento e o banco de capacitor serve para corrigir o fator de potência, que é o causador das multas tarifárias de energia elétrica.

Criar campanhas de conscientização e palestras educativas é uma boa forma de difundir essas ideias e ajudar os moradores do seu condomínio a fazerem um uso mais consciente da energia.
Como anda o consumo de energia elétrica de seu condomínio? Que tal iniciar uma campanha educativa para seus moradores?
Para isso criamos um modelo simples, porém bem e orientativo para você iniciar uma campanha de conscientização. 

Para baixa-lo clique no link abaixo.


Um forte abraço e SUCESSO! 

domingo, 10 de março de 2019

Um mundo sem nuvens


Imagem da internet


Um estudo publicado na revista Nature Geoscience mostra que, se continuarmos com as emissões habituais de combustíveis fósseis, a atmosfera conterá 1.200 partes por milhão de CO2 em cerca de um século, o que fará com que as nuvens stratocumulus desapareçam. Sua ausência pode deixar a Terra quente por 8 graus Celsius (8 graus Celsius).

A simulação computacional usada no estudo mostrou que uma vez que o ponto de inflexão do CO2 atmosférico de 1.200 partes por milhão (ppm) é violado, a temperatura da Terra subiria 4 ° C apenas a partir do CO2. Então, aumentaria em mais 4 ° C devido às nuvens ausentes que não refletem mais a radiação solar de volta ao espaço.


Nuvens stratocumulus cobrem cerca de dois terços do planeta e desempenham um papel fundamental em manter o planeta fresco, devido à sua cor branca e qualidades reflexivas. Pesquisas mostraram que o aquecimento planetário está correlacionado com a perda de nuvens. Este é mais um ciclo de feedback climático imprevisto que pode nos levar a um aquecimento catastrófico.


Kerry Emanuel, cientista climáticod Instituto de Tecnologia de Massachusetts que é uma das principais autoridades em física atmosférica, disse à Quanta Magazine que os resultados do estudo ainda precisavam ser replicados independentemente, mas que a possibilidade da simulação ser precisa era "muito plausível".


É altamente improvável que a vida mais complexa possa sobreviver em um planeta que tenha aquecido a 8 ° C. Um feitiço cataclísmico anterior nos dá pistas de como poderia ser o futuro da Terra.



O Máximo Térmico do Paleoceno-Eoceno (PETM), ocorrido há 56 milhões de anos, foi desencadeado pelo carbono aprisionador de calor, fazendo com que o planeta ganhasse 6 ° C. (Na época, a Terra já estava vários graus Celsius mais quente do que é agora.)
 Extinções em massa globais resultaram, enquanto os oceanos aqueciam dramaticamente. Cavalos, macacos e outros animais migraram para o norte enquanto perseguiam a vegetação que se movia para as latitudes mais altas. A vida dos mamíferos diminuiu ao longo de muitas gerações, à medida que a comida se tornou menos nutritiva devido ao ar mais quente cheio de carbono, e inundações repentinas e tempestades cada vez mais violentas se tornaram a norma.


Durante o PETM, as regiões equatoriais da Terra foram queimadas e quase completamente sem vida, enquanto os crocodilos nadaram no Ártico.

"Schneider e co-autores abriram a caixa aberta de Pandora de possíveis surpresas climáticas" , disse à revista Quanta Magazine Matt Huber, um moderador paleoclima da Universidade Purdue.


Huber acrescentou que, “de repente, essa enorme sensibilidade que é aparente em climas passados não é algo que foi apenas no passado. Torna-se uma visão do futuro. ”O ponto de inflexão da perda de nuvens e da instabilidade que ela causa é significativo: ajuda a explicar a volatilidade nos registros paleoclimáticos da Terra.


“As transições climáticas que surgem dessa instabilidade podem ter contribuído de maneira importante para os climas de estufa e as mudanças abruptas do clima no passado geológico”, diz o resumo do estudo.

"Tais transições para um clima muito mais quente também podem ocorrer no futuro de os níveis de CO2 continuarem a subir"


E você o que tem feito para reduzir as emissões de gases de efeito estufa?

Deixe seu comentário e compartilhe através de suas redes sociais.

Forte abraço e SUCESSO!   
Por Dahr Jamail, autor de: "The End of Ice: Bearing Witness and Finding Meaning in the Path of Climate Disruption" (The New Press, 2019) 



terça-feira, 8 de janeiro de 2019

Um modo sustentável de fazer negócios

É importante olhar para o passado porque há muitas lições para aprender lá. No entanto, olhar para o futuro é mais importante do que isso.

As atividades que promovem negócios sustentáveis ​​em um sentido mais amplo sempre olharam para o futuro, mas isso deve continuar a ser mantido? A necessidade de prever o que virá a seguir e o grau de urgência hoje é inédita, os negócios, a economia e a cultura estão mudando em seus vários aspectos.

Nesse artigo falaremos um pouco sobre essas mudanças e a forma sustentável de fazer negócios.

Boa leitura!
Por: Marco A. Souza




O desempenho econômico é a primeira responsabilidade de uma empresa, sem a qual não se alcança a dimensão desejada como boa empregadora, boa cidadã, boa vizinha. Mas, é cada vez mais claro que a estratégia econômica deve contribuir para o desenvolvimento econômico e social sem exaurir os recursos para o futuro, fazendo das práticas sustentáveis o elo entre o agora e o amanhã. A sustentabilidade do negócio é a capacidade de perpetuá-lo em uma sociedade cada vez mais justa e harmoniosa, em um planeta equilibrado e respeitado.

Não se faz isso sozinho.

A construção desse futuro requer estreitar ainda mais as relações com a comunidade, com os parceiros, com os acionistas, com os clientes e com os colaboradores, para que aflore, cada vez mais intensamente, a inteligência coletiva.

É a soma do que pensamos que fará a diferença, que nos tornará, de fato, empresas cerebrais, sintonizadas com o todo, isso significa que precisamos pensar coletivamente nossos processos, para aprimorá-los e gerar produtos que surpreendam o consumidor, com benefícios para toda a sociedade e com respeito ao meio ambiente.

Empresas assim são capazes de liderar mudanças, de estar à frente do seu tempo, porque refletem a clareza da estratégia e capacidade de expressão e mobilização de seus líderes. Liderar é, além de conhecer muito bem o próprio negócio, ter a habilidade de compreender o lugar e papel da empresa no espaço, na sociedade e na história, reinventando-se sempre para melhor.

Sustentabilidade é um conceito que vai muito além de produzir com responsabilidade socioambiental. Envolve um processo ininterrupto de avaliar, reconhecer e prevenir riscos, de identificar pontos que podem ser aprimorados nos processos produtivos e de qualidade, de buscar incessantemente novas formas de fazer melhor o que já sabemos fazer e de construir relacionamentos francos e transparentes com todos os stakeholders.

Significa, em outras palavras, compreender que fazemos parte de uma teia, de uma rede de relacionamentos internos e externos, que devemos respeitar e valorizar por meio da ação de cada um dos profissionais que integram a organização.

A construção da sustentabilidade é um caminho de superação e, portanto, jamais termina. Cada ponto alcançado permite-nos ver os desafios que existem à frente e que precisam ser superados. É um caminho que exige, acima de tudo, humildade e disciplina.

Na construção do desenvolvimento sustentável, é essencial compartilhar conceitos, critérios, práticas, resultados e perspectivas, a fim de consolidar a cultura da sustentabilidade e de difundi-la de modo abrangente e profundo nas empresas, um dos motivos que me levaram a criação desse blog.

E para você, existe Um modo sustentável de fazer negócios que possa ser compartilhado com nossos leitores?

Deixe seu comentário e compartilhe nosso artigo.

Um forte abraço e um 2019 SUSTENTÁVEL para todos vocês!


quinta-feira, 27 de dezembro de 2018

O QUE ACONTECERIA SE NÃO HOUVESSE PLANTAS NA TERRA



Saudações queridos leitores


Hoje, ao voltar do Extra supermercado, debaixo de um sol escaldante mas bem acompanhado de meu fone ao som de 
The Cult (Album Eletric), passei em frente a um condomínio que tinha um ENORME estacionamento descoberto sem vegetação alguma e pude sentir o calor que refletia do piso daquele estacionamento.

Como moro em um condomínio bem arborizado na mesma hora uma reflexão me veio à mente: e se não houvesse árvores ou plantas na terra.

Sem plantas, toda a vida terminaria no planeta, exceto,  possivelmente, para alguns organismos que vivem nas trincheiras oceânicas e vivem da quimiossíntese.

Assim, pode haver alguns vermes tubulares que vivem de todos os produtos químicos que saem do magma que vem do manto terrestre, mas para a maioria dos organismos a luz do sol fornece os elementos primários da nutrição para todas as necessidades da vida.

Sem plantas, o dióxido de carbono não seria decomposto e transformado em oxigênio. O aumento do dióxido de carbono acidificaria as águas à medida que se combinava com a água para produzir ácido carbônico. Não haveria ar para os seres dependentes de oxigênio respirarem.

Os açúcares que as plantas produzem não estariam disponíveis para alimentação.
Sem plantas, o processo de devolver cadáveres à terra seria seriamente prejudicado. Dependendo se você contar fungos e bactérias como plantas, isso poderia terminar completamente.

As temperaturas também subiriam, já que o dióxido de carbono é um gás de efeito estufa que retém longas ondas de luz.
As primeiras plantas, algas verdes azuis, surgiram muitos milênios atrás e fizeram a vida como a conhecemos.

Sem fotossíntese, sem comida, sem ar, sem mares modernos, ambiente altamente ácido, temperaturas mais altas e possivelmente sem vida.

Sem plantas a vida seria uma prévia do que a própria palavra de Deus afirma – 
“sem forma e vazia” – e para você leitor, no seu ponto de vista como acha que a vida seria sem árvores ou plantas? Deixe seu comentário e se possível, plante uma árvore ainda hoje.

Um forte abraço, feliz ano novo e SUCESSO a todos!

quinta-feira, 6 de dezembro de 2018

Quatro vantagens de usar o LinkedIn

Se você é pouco familiarizado com o LinkedIn , a primeira coisa em que provavelmente pensa ao ouvir sobre esse popular site social é sobre sua finalidade que poder ser utilizado para “recrutamento” ou talvez “networking”. Mas qual sua verdadeira função?
Leia na íntegra.

O site começou com o objetivo principal de vincular os empregadores a possíveis funcionários, fornecendo um local para os indivíduos postarem currículos e oferecerem referências e para os empregadores postarem vagas de emprego atuais.

Desde então, no entanto, o LinkedIn evoluiu para uma ferramenta de rede muito mais robusta, permitindo que empresas, especialmente aquelas no espaço business-to-business (B2B), expandissem suas bases de clientes, gerassem ideias de produtos e serviços e obtivessem feedback valioso das pessoas que eles mais querem ouvir: clientes em potencial.

Ao contrário de outros sites sociais que promovem uma abordagem “quanto mais, melhor”, o LinkedIn tem uma conexão seletiva com as pessoas e organizações em seu mercado de clientes.
Então, como você pode aproveitar o que o LinkedIn pode oferecer à sua empresa? Aqui estão quatro vantagens:
  1. Conecte-se: como qualquer site social, o LinkedIn é sobre redes, mas como é um site voltado para profissionais e empresas, sua empresa pode se relacionar de maneira eficaz com possíveis organizações clientes. O LinkedIn possui um recurso de pesquisa decente que pode ajudar você a encontrar pessoas em seu setor e nos setores em que atua. Isso torna mais fácil não apenas encontrar clientes em potencial, mas também acompanhar o que sua concorrência oferece - e ambos podem ajudá-lo a ser mais competitivo. Não vincule pessoas apenas para criar o número de conexões que você tem. Use suas solicitações de conexão de forma mais estratégica para engajar e construir relacionamentos com seus clientes-alvo e influenciadores em seu espaço de mercado.
  2. Crie confiança para sua marca: o LinkedIn está repleto de grupos dedicados a tópicos profissionais específicos. Junte-se aos que são relevantes para você. Uma vez que você é um membro do grupo, torne-se um participante ativo em discussões que ajudam você e sua empresa a serem reconhecidos como uma autoridade no campo. Depois de participar por um tempo, considere iniciar seus próprios tópicos de discussão dentro do grupo ou até postar um artigo para o grupo digerir e discutir. Não use isso como uma plataforma de publicidade para promover seus produtos e serviços. Em vez disso, ofereça informações perspicazes e as solicitações de informações sobre seus produtos e serviços serão por conta própria.
  3. Promova sua marca como uma autoridade: assim que você entender como os grupos do LinkedIn funcionam e você ganhar influência na plataforma, considere começar seu próprio grupo. O LinkedIn pode ser uma ótima ferramenta para o marketing de conteúdo, e lhe tornar uma fonte confiável de insights de negócios em seu setor. Certifique-se de incluir atualizações do seu blog e alguns links bem posicionados que levam ao seu site corporativo.
  4. Reúna feedback: tenha uma ideia nova ou um produto que acabou de ser lançado? Este é o lugar para pedir feedback de pessoas cujas ideias e opiniões você confia. Pedir informações pode ser uma ótima maneira de identificar clientes em potencial e fazer com que os clientes atuais se sintam valorizados. E observe que pedir informações também lhe dá a oportunidade de mencionar um produto ou serviço sem parecer um anúncio.

O LinkedIn está se tornando um lugar ideal para aumentar sua marca. Como qualquer ferramenta, a melhor utilização do LinkedIn levará tempo, especialmente ao trabalhar para desenvolver a voz da sua empresa e criar níveis de participação.
Felizmente há cursos que auxiliam na compreensão dessa poderosa ferramenta para uso de empresas que querem promover sua marca e profissionais que desejam otimizar seu perfil profissional e ser notado por empresas dos mais variados setores.

Deseja aprimorar seus conhecimentos com o LinkedIn?
Esse curso do Matheus de Souza é um dos que poderá ajudá-lo a determinar como o LinkedIn se ajusta à sua estratégia geral de mídia social e marketing de conteúdo. 

No link LINKEDINSEMSEGREDOS você poderá obter mais informações e até assistir uma uma aula gratuita.

Um forte abraço e SUCESSO!
Marco Antonio


quarta-feira, 21 de novembro de 2018


As empresas precisam cumprir um número cada vez maior de regras de conformidade ambiental. Com um movimento em direção à sustentabilidade em todo o mundo, essas empresas podem querer considerar a contratação de uma consultoria ambiental, a fim de seguir essas regras, bem como determinar e implementar suas próprias iniciativas ambientais.


As questões ambientais são complexas, no entanto, e se você não tiver o conhecimento ou os recursos para resolvê-las você mesmo?
Nessa situação é comum recorrer a uma empresa ou um profissional de consultoria ambiental, mas como o trabalho de um consultor ambiental pode beneficiar sua empresa?

À medida que os problemas ambientais se agravam ou mais pessoas pedem mudanças, as empresas enfrentam mais regras de conformidade ambiental. Esses regulamentos, leis e portarias podem vir de governos federais, estaduais e locais, órgãos reguladores, grupos setoriais e outros e abrangem muitos aspectos diferentes das operações de uma empresa.

Manter-se atualizado com esses requisitos é demorado e cometer erros pode ser caro. Evite esses problemas com um especialista do seu lado que entenda os requisitos legais e a melhor forma de gerenciar a conformidade.

Um consultor ambiental pode avaliar suas operações, processos e ajudá-lo a criar um plano para alcançar e manter a conformidade. Eles também podem monitorar os requisitos de mudança para que você permaneça atualizado.

Para fazer isso, eles devem rastrear uma ampla variedade de fontes de regulamentos, o que pode ser uma tarefa muito demorada.
Os consultores também podem ajudá-lo a alcançar metas ambientais voluntárias, como usar mais energia limpa, optar por material reciclado ou criar um plano de gestão com objetivo de buscar uma certificação ambiental.

Essas iniciativas estão se tornando mais comuns entre as empresas, pois os clientes procuram cada vez mais marcas que priorizem a sustentabilidade .

As empresas ou profissionais de consultoria ambiental podem ajudá-lo a avaliar suas operações atuais, criar um plano para atingir suas metas, acompanhar seu progresso e gerenciar relatórios ambientais, o que ajuda a transmitir seu desempenho de sustentabilidade a seus acionistas e também compartilhar seus conhecimentos sobre esses problemas com sua empresa por meio de sessões de treinamento.

Por que consultar um profissional da área?
Trabalhar com uma empresa de consultoria ou um profissional tem vários benefícios.

Primeiro porque os profissionais que trabalham para essas empresas de consultoria já possuem o conhecimento necessário para realizar o trabalho. Isso significa que eles podem concluir tarefas relacionadas com muito mais eficiência e com menos erros do que a sua empresa por si só.

Segundo porque um consultor é mais flexível que um empregado. Em vez de pagá-los por um determinado período de horas, você pode contratá-los para projetos específicos, o que ajuda a usar seus recursos financeiros com mais eficiência. Esse tipo de contrato também é facilmente escalável.

Os consultores também podem ter uma experiência mais relevante do que um funcionário. Eles também podem trabalhar para uma empresa respeitável e ter certificações relevantes, o que facilita a avaliação de sua aptidão.

Na próxima vez que sua empresa tiver um projeto relacionado à conformidade ambiental, sustentabilidade ou saúde e segurança, considere a contratação de um consultor. Trabalhar com um consultor também pode ajudá-lo a avaliar seu desempenho ambiental atual e desenvolver planos de como melhorá-lo. 

Contratar alguém que já é especialista nessas questões ajudará a atingir suas metas de maneira mais eficiente e com melhores resultados.

Deixe seus comentários e se precisar fale com um de nossos consultores.
Um forte abraço e SUCESSO!

terça-feira, 20 de novembro de 2018

Por que a sustentabilidade é importante nos negócios


O desenvolvimento sustentável foi formalmente apresentado pela primeira vez pela Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento das Nações Unidas em 1987, como uma agenda para examinar e orientar o ambiente e o desenvolvimento global. Foi gradualmente passando do que era uma retórica política e agora transcendeu em muitos campos de estudos e práticas de negócios, mas, por que a sustentabilidade é importante para as empresas? Leia na íntegra.

Essa pergunta muito simples pode ser respondida por duas respostas igualmente muito simples: "Partes interessadas" e "Diferencial competitivo para as empresas".

Em primeiro lugar, há crescentes demandas de uma ampla gama de stakeholders (grupos de partes interessadas: acionistas, funcionários, sociedade, governo, mídia, etc.) para que as organizações adotem e implementem práticas de gestão responsáveis.

Isso ocorre porque essas partes interessadas agora demandam um forte desempenho econômico, além de as organizações serem social e ambientalmente sustentáveis, bem como aderir a práticas comerciais responsáveis.

Portanto, não é surpreendente que a Responsabilidade Social Corporativa, a Ética Empresarial e a Gestão Sustentável tenham se tornado partes importantes da estratégia da organização e de suas operações cotidianas.

A segunda principal razão pela qual as empresas reconhecem agora a importância da sustentabilidade e da integração de questões relacionadas à sustentabilidade social e ambiental nas atividades de negócios essenciais como parte essencial do desenvolvimento de estratégias de negócios é o Business Case for Sustainability.

O Business Case for Sustainability enfatiza como as ligações entre o sucesso voluntário social e/ou ambiental e econômico da empresa podem ser integradas, gerenciadas, avançadas ou inovadas.

O fato de que, se uma empresa pode atingir pelo menos um dos seis impulsionadores de negócios (Redução de Custos e Custos, Vendas e Margem de Lucro, Redução de Risco, Reputação e Valor da Marca, Atratividade do Empregador e Capacidades Inovadoras) ao realizar um trabalho voluntário social e ou atividade ambiental, isso também indiretamente permitirá à empresa capturar o valor econômico e, assim, estará mais disposto a participar de tais atividades.
“Muitas empresas de diferentes setores puderam, direta e indiretamente, obter valor como resultado do envolvimento em atividades relacionadas à sustentabilidade.”


É inegável que tem havido evidências esmagadoras para sugerir que muitas empresas de diferentes setores puderam, direta e indiretamente, obter valor como resultado do envolvimento em atividades relacionadas à sustentabilidade. Isso pode ser feito projetando um Modelo de Negócios Sustentável que cria, entrega e capta valor para várias partes interessadas no Triple Bottom Line (Econômico, Social e Ambiental). 

Simplificando, a sustentabilidade é uma abordagem para criar valor a longo prazo, levando em consideração como uma determinada organização opera no ambiente de negócios.

No próximo artigo listaremos algumas empresas que adotam de forma prática a sustentabilidade em seu core business.

E na sua opinião qual a importância da sustentabilidade para as empresas? Deixe seu comentário e compartilhe com seus amigos!

Um forte abraço e SUCESSO!
Marco Antonio


terça-feira, 6 de novembro de 2018

Como iniciar um negócio na área ambiental



Recentemente dei uma entrevista para um aluno muito gente boa da Faculdade Anhembi Morumbi e uma das perguntas que ele me fez foi sobre como iniciar um negócio na área ambiental.
Como o jornal é uma publicação interna resolvi escrever esse artigo que acaba complementando o anterior e que disponibilizarei para vocês assim quando for publicado. 

Os consultores ambientais podem vender seus serviços para uma ampla variedade de clientes comerciais e industriais, bem como para órgãos ambientais do governo.
Esses consultores ajudam a garantir o cumprimento das leis e regulamentações ambientais, realizam avaliações de risco durante as transações imobiliárias e de construção e abordam os problemas de contaminação por resíduos perigosos.

À medida que as questões ambientais se tornam integradas aos processos de planejamento de negócios, os papéis dos consultores ambientais tornam-se mais complexos, mas o que é necessário para empreender na área de consultoria ambiental?

Veja as tendências e tecnologias emergentes.
De acordo com o Bureau de Estatísticas do Trabalho dos Estados Unidos, por exemplo, em uma pesquisa sobre o setor ambiental, espera-se que as perspectivas de emprego para cientistas e especialistas em meio ambiente aumentem em 15% entre 2012-2022. (fonte: 

Empresas privadas de consultoria ambiental terão o maior crescimento.
Identifique oportunidades em seu mercado geográfico. Você poderá desenvolver projetos de consultoria ambiental em qualquer parte do país. Os exemplos incluem análise preliminar para aquisição de imóveis, desenvolvimento de pesquisas, fiscalização e controle do meio ambiente em áreas de preservação ambiental, certificação para edifícios verdes ou estudo de eficiência energética para empreendimentos. No entanto, regiões específicas se prestam a oportunidades específicas para cada área. Um consultor ambiental em uma comunidade de praia pode avaliar o impacto ambiental de um desenvolvimento à beira-mar. Um consultor em uma área rica em petróleo poderia receber um contrato para avaliar os efeitos de vazamento de óleo no passado em um potencial site da comunidade residencial. Finalmente, um consultor em uma área preservada poderia avaliar o impacto de um novo sistema rodoviário nos ecossistemas da região
.

Eduque-se para educar seus clientes. Antes de aceitar consultoria, aprenda e obtenha materiais de referência sobre legislações ambientais relativos à área ou áreas nas quais você fará negócios onde terá uma compreensão dos problemas subjacentes.
Por fim, aprenda sobre os três vieses da questão ambiental – a compatibilização do social, ambiental e econômico – que independente da ordem que se apresenta, fará parte de toda a sua carreira profissional.
Uma última dica, que não deixa de ter sua importância, é sobre seus perfis nas redes sociais.
Segmente sites e publicações do setor. Concentre-se na mídia específica do setor usada por clientes em potencial. Por exemplo, alcance o setor imobiliário comercial através de revistas e sites de desenvolvimento de empreendimentos.

Para clientes de energia renovável, crie uma presença em meios de energia alternativa. Escolha um tópico relevante para o qual você pode fornecer informações especializadas concretas e, em seguida, escreva um artigo gratuitamente. Esta é uma maneira poderosa de se apresentar como uma fonte bem informada.

Realize um fórum ambiental sobre um assunto do momento. Depois de se familiarizar com uma questão ambiental local, agende um fórum ambiental em uma faculdade ou universidade local. Convide as partes de ambos os lados da questão controversa para apresentar seus pontos. Finalmente, discuta o papel educacional que o consultor ambiental desempenha no processo. Realize sessões de acompanhamento com ambas as partes.

No mais é contigo!

Sua sensibilidade está acima de todas as questões apresentadas nesse artigo por esse motivo, siga sua intuição e SUCESSO!

Gostou desse artigo? Deseja mais informações sobre as áreas de atuação do consultor ambiental? Envie-nos um e-mail, compartilhe esse artigo nas suas redes sociais e deixe seus comentários.

Para nós sua opinião é muito importante.

Um forte abraço e SUCESSO!
Marco A. Souza